Visit Blog
Explore Tumblr blogs with no restrictions, modern design and the best experience.
#carlos drummond de andrade
nsantand · 3 days ago
Text
Carlos Drummond de Andrade – Ciência
"Ciência", um poema de Carlos Drummond de Andrade
Começo a ver no escuro um novo tom de escuro. Começo a ver o visto e me incluo no muro. Começo a distinguir um sonilho, se tanto, de ruga. E a esmerilhar a graça da vida, em sua fuga. Conheça outros livros de Carlos Drummond de Andrade clicando aqui
Tumblr media
View On WordPress
0 notes
livrari · 7 days ago
Text
Por que Deus permite
Que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite
É tempo sem hora
Luz que não apaga
Quando sopra o vento
E chuva desaba
Veludo escondido
Na pele enrugada
Água pura, ar puro
Puro pensamento
Morrer acontece
Com o que é breve e passa
Sem deixar vestígio
Mãe, na sua graça
É eternidade
Por que Deus se lembra
- Mistério profundo -
De tirá-la um dia?
Fosse eu rei do mundo
Baixava uma lei:
Mãe não morre nunca
Mãe ficará sempre
Junto de seu filho
E ele, velho embora
Será pequenino
Feito grão de milho
10 notes · View notes
portalemcioranbr · 11 days ago
Text
"Convite Triste" - Carlos DRUMMOND DE ANDRADE
“Convite Triste” – Carlos DRUMMOND DE ANDRADE
Meu amigo, vamos sofrer,vamos beber, vamos ler jornal,vamos dizer que a vida é ruim,meu amigo, vamos sofrer. Vamos fazer um poemaou qualquer outra besteira.Fitar por exemplo uma estrelapor muito tempo, muito tempoe dar um suspiro fundoou qualquer outra besteira. Vamos beber uísque, vamosbeber cerveja preta e barata,beber, gritar e morrer,ou, quem sabe? beber apenas. Vamos xingar a mulher,que…
View On WordPress
1 note · View note
intransponivel · 18 days ago
Text
Tumblr media
alguma poesia (1930) - carlos drummond de andrade
1 note · View note
intransponivel · 18 days ago
Text
Tumblr media
alguma poesia (1930) - carlos drummond de andrade
1 note · View note
ilmattinohaloroinbocca · 24 days ago
Text
Tumblr media
Soave bocca errante
in superficie fino a trovare il punto
ove t’aggrada cogliere il frutto a fuoco
che non sarà mangiato ma fruito
finché non s’esaurisce il succo caldo
e lui ti lascia, o tu lo lasci, flaccido,
ma rugiadoso di bava di delizie
che frutto e bocca si permettono, dono.
Bocca soave e saggia,
impaziente di succhiare e segregare
intero, in te, il tallo rigido
ma folle di piacere al confinarsi
nel limitato spazio che tu offri
al suo volume e getto appassionati,
come puoi diventare, così aperta,
ricurvo cielo infinito e sepoltura?
Soave bocca e santa,
che piano piano vai sfogliando la liquida
schiuma del piacere in muto rito,
lenta-leccante-lecchillusoriamente
legata alla forma eretta quasi fossero
la bocca il frutto, e il frutto la bocca,
no, basta, basta, basta, basta bermi,
uccidermi e, da morto, vivermi.
So già cos’é l’eternità: é puro orgasmo.
Carlos Drummond de Andrade
13 notes · View notes
brisa-ventania · 24 days ago
Photo
Tumblr media
Vamos, não chores. A infância está perdida. A mocidade está perdida. Mas a vida não se perdeu.
O primeiro amor passou. O segundo amor passou. O terceiro amor passou. Mas o coração continua.
Perdeste o melhor amigo. Não tentaste qualquer viagem. Não possuis carro, navio, terra. Mas tens um cão.
Algumas palavras duras, em voz mansa, te golpearam. Nunca, nunca cicatrizam. Mas, e o humour?
A injustiça não se resolve. À sombra do mundo errado murmuraste um protesto tímido. Mas virão outros.
Tudo somado, devias precipitar-te, de vez, nas águas. Estás nu na areia, no vento... Dorme, meu filho.
Antologia Poética,                      Carlos Drummond de Andrade
0 notes
brisa-ventania · 24 days ago
Photo
Tumblr media
A Música Barata
Paloma, Violetera, Feuilles Mortes, Saudades do Matão e de quem mais? A música barata me visita e me conduz para um pobre nirvana à minha imagem.
Valsas e canções engavetadas Num armário que vibra de guardá-las, No velho armário, cedro, pinho ou...? (o marceneiro ao fazê-lo bem sabia quanto essa madeira sofreria.)
Não quero Handel para meu amigo Nem ouço a matinada dos arcanjos. Basta-me O que veio da rua, sem mensagem, e, como nos perdemos, se perdeu.
                                Antologia Poética,   Carlos Drummond de Andrade
0 notes
hellishcreature · 26 days ago
Photo
Tumblr media
Tumblr media
Tumblr media
Tumblr media
Tumblr media
Tumblr media
This post by @bakwaaas /  The child is gone - Fiona Apple / Frances Ha - Dir. Noah Baumbach, 2012 / Wild time - Weyes Blood / Untitled -  Keith Haring, 1982 / Consolo na praia - Carlos Drummond de Andrade
114 notes · View notes
artetralerighe · 28 days ago
Text
Tumblr media
🌸 Ogni giorno che vivo,
mi convinco sempre più
che lo spreco della vita
è nell’amore che non diamo,
nelle forze che non usiamo,
nella prudenza egoista che non rischia mai,
e che, schivando la sofferenza,
fa perdere anche la felicità.
🦋 Carlos Drummond de Andrade
ꨄ᪥ꨄ🥀ꨄ🥀ꨄ᪥ꨄ
5 notes · View notes
becoldbehappy · a month ago
Text
Ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade. (Carlos Drummond de Andrade)
2 notes · View notes
intelligentdeviant · a month ago
Text
from 'Declaration of Love'
"If you search well, you end up finding
not the (dubious) explanation of life,
but the (inexplicable) poetry of life."
[Carlos Drummond de Andrade]
0 notes
comporsilencios · a month ago
Text
O AMOR BATE NA PORTA
Cantiga do amor sem eira
nem beira,
vira o mundo de cabeça
para baixo,
suspende a saia das mulheres,
tira os óculos dos homens,
o amor, seja como for,
é o amor.
Meu bem, não chores,
hoje tem filme de Carlito!
O amor bate na porta
o amor bate na aorta,
fui abrir e me constipei.
Cardíaco e melancólico,
o amor ronca na horta
entre pés de laranjeira
entre uvas meio verdes
e desejos já maduros.
Entre uvas meio verdes,
meu amor, não te atormentes.
Certos ácidos adoçam
a boca murcha dos velhos
e quando os dentes não mordem
e quando os braços não prendem
o amor faz uma cócega
o amor desenha uma curva
propõe uma geometria.
Amor é bicho instruído.
Olha: o amor pulou o muro
o amor subiu na árvore
em tempo de se estrepar.
Pronto, o amor se estrepou.
Daqui estou vendo o sangue
que escorre do corpo andrógino.
Essa ferida, meu bem,
às vezes não sara nunca
às vezes sara amanhã.
Daqui estou vendo o amor
irritado, desapontado,
mas também vejo outras coisas:
vejo corpos, vejo almas
vejo beijos que se beijam
ouço mãos que se conversam
e que viajam sem mapa.
Vejo muitas outras coisas
que não ouso compreender...
~ Drummond
10 notes · View notes
olucasilva · a month ago
Quote
Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chega a apertar o coração: é o amor!
Carlos Drummond de Andrade
11 notes · View notes
luiz--adm · a month ago
Text
“Perder tempo em aprender coisas que não interessam, priva-nos de descobrir coisas interessantes.”
0 notes
ecoandopoesia · a month ago
Text
Encontro da Poesia
Sim Eu trouxe A chave Penetro Surdamente Em seu reino E contemplo As palavras Em estado De dicionário Chego mais Perto E elas me Encaram Com suas Mil faces Secretas E desse Encontro Nasce A poesia Que procurava @sentimentosemcompotas
17 notes · View notes
magicamistura · a month ago
Photo
Tumblr media
Tumblr media
(via Intenções...por Carlos Drummond de Andrade)
0 notes